segunda-feira, 17 de junho de 2013

Nota 8? Pra ser 10 tem que morrer alguém?


A execução do plano de mobilidade do governo do estado sobre o primeiro jogo na Arena Pernambuco pela Copa das Confederações teve nota “8″.

Confira os depoimentos do secretário extraordinário da Copa, Ricardo Leitão.

Plano de mobilidade mantido
“O plano de mobilidade foi testado no dia 22 (de maio) e operacionalizado ontem (domingo) será mantido. Não haverá alteração estrutural. O metrô continuará como principal modal de acesso à Arena. O acesso pela BR-408 segue com veículos credenciados pela Fifa, como seleções, árbitros, autoridades, patrocinadores etc. E ainda temos o esquema de estacionamentos remotos, próximos à estações de metrô, através do Express Torcida, e também o Parqtel.”

Ajustes para a operação
“Na nossa avaliação, o plano aprovado pela Fifa e pelo conjunto de órgãos do governo do estado é um plano que evidentemente precisa ser melhorado, mas os acontecimento de domingo não decorrem de erros do plano, mas de problemas de sincronia, entre operações dos ônibus e o metrô na Estação Cosme e Damião. Essa sincronia será buscada, já discutimos isso. Queremos alcançar o que o plano projeta, a chegada de ônibus na estação compatibilizada a saída e chegada de trens.”

Mau comportamento
“Houve, além da falta de sincronia, um comportamento inadequado de alguns torcedores, derrubandos barreiras, o que acabou prejudicando o esquema também.”

Teste difícil
“Tivemos o teste mais difícil da para a Arena, com o público quase total, de 42 mil pessoas, o máximo que a Fifa conseguiu vender. Para o jogo de quarta (Itália x Japão) a expectativa é de 32 mil pessoas. Gostaria de pedir mais uma vez a colaboração de todos e destacar que na quarta o torcedor poderá chegar na Arena às 15h e assistir lá, nos telões, o jogo da Seleção Brasileira.”

Serviços desorganizados na arena
“O torcedor é um consumir e ele tem razão em sair chateado do jogo, com os problemas que enfrentou, com acesso, filas enormes nos bares, falta de produtos, ingressos sem assento, banheiros sujos. Tudo isso foi conversado com o operador, até porque este tem o maior interesse de que dentro do jogo corra tudo bem, pois só assim vem a continuidade da receita. Repito: o torcedor tem razão de ter saído chetado”

Mea culpa
“Queríamos que as pessoas chegassem com conforto na arena, e isso não foi alcançado. Temos que trabalhar para dar mais segurança e conforto para o publico.”

Operação pós-Copa
“A operação na Copa não será a mesma a partir de julho, quando terá o estacionamento com 4.700 vagas e a BR-408 estarão liberados, diminuindo a demanda do metrô.”

Sem estacionamento extra
“O Parqtel fica numa área excelente, na margem da BR-408 e próxima a arena. E é uma terreno do governo. Não tem mais nennhum perto do estádio. Se você encontrar, pode me ligar.” 

BR-101 esburacada
“O controle da BR-101 é do Dnit, ligado ao governo gederal. Há muito tempo solicitamos que a recuperação fosse delegada ao governo do estado, mas o governo federal não permitiu. Somente em um trecho para usar o canteiro central. Queríamos restaurá-la. Estamos com um problema que é o fato de população pensar que esse trecho urbano da BR-101 é de nossa responsabilidade. Temos que pressionar o governo federal.”

Imagem arranhada
“Não concordo com o adjetivo “péssimo”. Tivemos um problema num dia específico, com a chegada do Uruguai até o campo de treinamento, com lama. O campo em si não teve problema, tanto que o Uruguai treinou lá de novo. Isso é suficiente para criar uma imagem ruim do Recife no plano mundial? A imagem que vi quando abriu a transmissão para o mundo inteiro foi a da Arena Pernambuco iluminada, bonita. Antes do jogo a Fifa mostrou três minutos com o que a nossa sede tem de melhor.” 

Voto de confiança
“Temos um crédito de confiança, suponho que sim, para dizer que (o plano) vai ser ‘igual e melhor’.”



Fonte: Diário de Pernambuco
Postar um comentário