segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

ARISTOCRACIA CARUARUENSE

Havia em Caruaru, na esquina da Rua da Matriz com a Rua Vigário Freire, o botequim do Barbosa, de José Barbosa da Silva, onde se reuniam muitos caruaruenses que fizeram história na cidade.

Certo dia, alguns amigos, entre eles Barbosa "Treme-Treme" (apelido devido ao tremor que tinha nas mãos), Antônio de Oliveira Chaves e Luiz Bezerra Torres resolveram fundar um time de futebol.

Desta decisão surgiu então o Comércio Futebol Clube, cujas cores (vermelho e branco) foram escolhidas devido a paixão que Barbosa tinha pelo Clube Náutico Capibaribe. Era o dia 12 de janeiro de 1940.

A primeira sede do Comércio se localizava na Rua Sete de Setembro, vizinho ao Colégio do mesmo nome. Para lá convergiam jovens da sociedade caruaruense, os amantes do futebol e os desejosos de vestirem a camisa do novo clube.

Tal qual o seu congênere do Recife, o Comércio era um clube um tanto quanto elitizado, diferentemente do Central, do Sport Caruaruense e do Vera Cruz, que tinham seus times formados por jovens oriundos do "povão" e por operários. Era mais um motivo para acirrar a rivalidade entre os times e "tocar fogo" no campeonato da cidade.

A primeira diretoria do Comércio Futebol Clube era assim constituída: Presidente - José Pinheiro da Silva; Secretário - José Paes de Lira; Tesoureiro - Alfredo Amâncio da Silva; e Diretor de Esportes: Mário Limeira da Mota.

Em 1941, o Comércio sagrou-se campeão disputando a final do campeonato caruaruense com o Vera Cruz. A partir daí outros títulos foram ganhos, aumentando a galeria de troféus do alvirrubro caruaruense.

Na década de 1950, foi iniciada a construção da nova sede social, uma das mais modernas do interior. Sua inauguração aconteceu em 1955, durante a gestão de Walter Lira. O clube oferecia para seus associados piscinas para adultos e crianças, quadra de esportes, parque infantil com variados brinquedos, salão de festas, grande "dancing", bar e banheiros amplos e asseados.

Apesar de ter um bom patrimônio em imóveis, o time de futebol do Comércio não resistiu às dificuldades financeiras e foi extinto na década de 1960. A sede do clube continuou em atividade, mas aos poucos foi entrando em decadência. Hoje, o Comércio Futebol Clube está desativado e a sua sede encontra-se em ruínas só restando uma pálida lembrança de uma agremiação que era um orgulho para a cidade.

Fonte: "Caruaru, Ontem e Hoje: De Fazenda a Capital", Josabel Barreto Marques, Ed. do Autor, Recife, 2012.

Curta a Fanpage de João Lyra Neto
Postar um comentário